PITANGA do AMPARO - casa vogue magazine 1987
pitanga do amparo architecture, art, publishing house, doctoral research, interiors, biotecture, architectural theories, russian art, o grande experimento, suprematism, constructivism, arquitetura construtivista and worldwhitewall editora.

Click to the next publication
Cliquer pour la prochaine publication
Clicate per la pubblicazione seguente
Clique para a publicação seguinte

Click to the top
Cliquer pour le haut
Clicate per andare all'alto
Clique para o topo

Click to the top
Cliquer pour le haut
Clicate per andare all'alto
Clique para o topo

Click to the top
Cliquer pour le haut
Clicate per andare all'alto
Clique para o topo


EM CASA DE ARQUITETO
UM RETRATO PERSONALIZADO


Na casa de Pitanga do Amparo, soluções arquitetônicas alternativas e uma série de elementos dispostos à sua maneira.

Fotos: Luiz Calazans

..... "Nem todo arquiteto tem, ao longo de sua vida profissional, a oportunidade de projetar a própria casa. Destes, só alguns conseguem concretizar suas idéias, ou pelo menos tijolizá-las, como foi o meu caso, tal a sorte de obstáculos que se lhes antepõem interagindo-se entre si: financeiros; intelectuais, psicológicos, profissionais etc.

..... A falta de recursos financeiros adequados condiciona a uma concepção essencialista que tende geralmente a um empobrecimento do resultado plástico, decorrente de soluções menos arrojadas construtivamente e gerando, dessa forma, maior insegurança psicológica (autocensura) no autor que estaria expondo, digamos assim, sua faceta nada colunável, ou povera, exigindo-lhe então mais coragem e maior criatividade nas soluções arquitetônicas para tentar superar esse impasse.

..... Resultados felizes decorrem da invenção de novos vocábulos ou até mesmo de toda uma linguagem que de tão inovadora ou insólita ou bizarra desmonte o referencial crítico de análise e julgamento em uso.

Também nestes casos corre o autor o risco de ser incompreendido ou desprezado ou esquecido ou até mesmo confundido, o que é pior, com algum picareta menos autorizado.

..... Não tem nada não... Corbusier, que já fez cem anos, comeu a baguete que o diabo amassou e não desistiu jamais, infernizando centenas de pequenos empresários no começo de sua carreira, que fugiam dele como "construtor foge da régua T" até encontrar um empresário bonzinho que lhe construiu um bairro inteiro, mas que sifu de bleu, blanc et rouge, pois a Sabesp local não descolou nem um copinho d'água para saciar sua sede de sucesso, alegando que aquilo era coisa de louco-de-concreto, digo, louco-de-pedra.

..... Louco-de-tijolo ou não, minha casa não possui nenhum pilar ou viga de concreto ou de ferro. As lajes são as popularmente conhecidas como "pré", encontráveis em qualquer depósito de bairro. Os blocos cerâmicos desenham, dentro e fora, a textura e a cor predominantes, só quebradas pelas cores primárias dos caixilhos de ferro, das instalações elétricas e hidráulicas, no caso (paredes autoportantes) obrigatoriamente aparentes, como tenho feito nos últimos treze anos em lojas, depósitos; bancos ou residências. Nem por isso me privei de experimentar comigo mesmo os efeitos energéticos da biotectura, ajardinando as lajes que se transformaram em áreas de lazer verdejantemente utilizáveis.

..... No Pequeno Manifesto Safado, texto crítico de 25/3/80, estão contidos os elementos que acredito serem fundamentais para a elaboração de uma novarquitetura brasileira, apesar e graças aos desafios anteriormente enumerados e antropofagicamente livres de influências maldigeridas de outras arquiteturas."

Pitanga do Amparo
1987

Fotos:

1. Visão da cidade pela janela do dormitório.
2. A fachada da casa, mostrando parte do jardim.
3. Parte lateral da casa, onde aparece novamente uma parte do jardim e os níveis da construção.
4. Em primeiro plano, sofá Brigadier. Ao fundo, outra sala com almofadas Tok & Stok. Sobre a lareira, auto-retrato
Eu-Roxo, de Paulo Sayeg. À esquerda, Acendendo e, à direita, Casal na Praia, telas de Luiz Sôlha.
5. Paisagem de-Composição, tríptico de Takashi Fukushima; cadeira Wassily branca integrada ao piso Formiplac e às persianas verticais Colúmbia. Ao fundo, três desenhos de Alex Cerveny. Através da micropersiana, Pingüim de Geladeira, tela de Luiz Sôlha.
6. Poltrona Bertóia e mesa Samba em Berlim, de Pitanga do Amparo. Tela de Rodolfo Vanni e dois desenhos de Delson Pitanga no volume do lavabo que divide o amplo living.
7. Suíte: acima da cama,
Cabeça de Negro, tela de Paulo Sayeg. Entre Mulheres e Bichos, de Sayeg, e Cabeça de Homem, de Alex Cerveny, está a chaiselongue de Le Corbusier. Sobre a banheira de epóxi branco, cinco desenhos da série erótica de José Zaragoza.


CLICK TO ENLARGE THE TEXT
CLIQUEZ POUR AUGMENTER LE TEXTE
CLICATE PER RIALZARE IL TESTO
CLIQUE PARA AUMENTAR O TEXTO